10.24.2014

SOS Azulejo

há quase dois meses que faço este percurso...

há quase dois meses que vou fotografando estes prédios e os seus azulejos.



hoje soube por uma partilha da Alexandra o que está a acontecer aos azulejos do artista plástico Carlos Calvet por baixo dos andaimes colocados a propósito de uma obra de reparação do mesmo edifício.



é urgente a participação de todos e são muitos os que têm tentado travar este tipo de crime, mas é preciso mais.

é urgente a denúncia,
é urgente não ficar indiferente quando se vir estes ou outros azulejos à venda não sabendo a sua proveniência.

sei o valor que é poder ter um azulejo, como é o caso deste que guardo há anos, oferecido e assinado pelo arquitecto Bento de Almeida e Vítor Palla, do extinto Pic-nic no Rossio, quando ainda fazia a minha licenciatura.


o Pic-Nic de 1954 foi o primeiro snack-bar do País e acompanhei na altura o reviver destes anos pela boca dos dois arquitectos.

é um privilégio poder ter este azulejo, é, e não foi roubado.

é urgente a participação no Projecto SOS Azulejo, para que possamos continuar a olhar para a nossa história com orgulho, e não assistamos a mais fachadas esventradas.

de salientar o esforço de muitos que têm abraçado esta causa, como é o caso da Rosa Pomar.

sempre que vir uma fachada assim, denuncie, faça o download da imagem original e siga o exemplo da Alexandra.

os topos destes prédios têm ainda painéis em pastilha que queremos que se mantenham assim.

a foto do edifício da rua Rio de Janeiro é da autoria de Guerra daMata

3 comentários:

  1. É muito triste ver a que ponto se está a chegar, as proporções são cada vez maiores...
    Infelizmente por muito que se queira fazer individualmente, enquanto não se legislar devidamente sobre este assunto, as coisas ainda vão piorar.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Alexandra isso é de facto o principal a fazer, mas acredito que uma mobilização de massas ajudava em muito a travar estas situações. Falo por mim que tenho visto edifícios com as fachadas a serem espoliadas, penso nisso, penso no que se pode fazer, mas depois fica mais ou perdido na intenção. Esta situação revoltou-me muito pela proximidade, o que também não é o melhor motivo, mas foi o clic para eu imprimir umas quantas folhas e passar a andar com elas. um beijo

      Eliminar
  2. Segundo Ana Bela (https://www.facebook.com/pages/Cer%C3%A2mica-Modernista-em-Portugal/132651503522386?fref=ts) "O edifício está a ser recuperado. A fachada principal (Av. Rio de Janeiro) tem azulejos danificados que precisam ser substituídos. E porque os azulejos de substituição têm um desenho igual mas cores diferentes, estão a ser transferidos alguns azulejos das traseiras para fazer uma fachada mais bonita. E os novos serão então postos aqui, na fachada posterior."

    ResponderEliminar

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...