10.29.2014

mosaico hidráulico

enquanto vivi no Alentejo uma das muitas coisas a que propus fazer foi uma recolha das casas que ainda conservavam o mosaico hidráulico e quais os seus padrões.

comecei pela minha, uma casa de meados do século XIX, assente sobre estruturas, portas, tectos e cisternas do século XIII.

um projecto que foi atropelado por falta de tempo, mas que não perdi a esperança de fazer esse levantamento.

pela cidade são muitos os que têm procurado fazê-lo sob pena de os ver desaparecer, até porque muitas vezes estão visíveis porque a casa ou o prédio encontra-se em obras de remodelação e o chão é quase sempre o primeiro a sair.

mas se uns tiram há quem esteja preocupado e interessado em manter vivo esta arte que teve o seu esplendor no inicio do século XX e que tem caído num profundo esquecimento.

a Koklatt procurou exaustivamente artesãos que ainda mantivessem as tradicionais técnicas de fabrico do mosaico hidráulico e isso é visível no seu trabalho.
no site da marca podemos encontrar não só um pouco de história, reprodução dos mesmos com a toponímia dos sítios onde foram encontrados, conselhos de manutenção e ainda uma série de fotos que nos inspiram e que me levam a ter vontade de voltar a ter em Lisboa uma casa com este chão.

estas fotos foram retiradas do site Petit Pan

esta de um dos meus blogs de eleição

e de quem se diverte com a vida.


além de não me apetecer deixar morrer o primeiro projecto, um dos próximos passeios que quero fazer é ir ao Museu da Vidigueira e conhecer os mosaicos d'Alcaria.

enquanto isso acho que vou encomendar uma destas almofadas da Alexandra e que podem ser encomendadas na sua loja Mariamélia.


Sem comentários:

Enviar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...