7.31.2013

Pantone 667 C



Há uns meses que o médico da casa me transformou numa espécie de homeless gastronómica depois de achar que eu sofria de uma colite espástica. Retirou-me em boa verdade quase tudo, pelo menos o que eu gostava e limitando-me em jantaradas em casa de amigos sob pena de ficar sem comer. O café com leite tornou-se numa espécie maçã envenenada, o que fez com os meus pequenos almoços passassem a ser acompanhados de chá. Foi preciso meses para digerir o meu mau feitio matinal que era apaziguado com um belo café. Mas nesta coisa de posso ou não posso comer e numa lista que me acompanhou nos primeiros tempos, vinha de facto a proibição do leite, mas com a salvaguarda de experimentar sem lactose. Acredito que nessa lista também deveriam constar os derivados do leite, como os iogurtes e os queijos. Mas como boa paciente que sou, cumpri religiosamente as proibições, claro e como não estavam continuei a comer os queijos mais gordos que existem no mercado. gosto.
Hoje e porque percebi que tenho mesmo de mudar algumas coisas, passei a comer iogurtes e leite derivados de soja
. Ando fascinada pelo iogurte de mirtilhos, não sei bem se pelo sabor ou pela cor.
A juntar ao Pantone Project

apaixonada estou também por este livro que acho que não vai entrar sequer para a minha wislist

7.30.2013

amigos que ficam


Estávamos em 2004 quando comecei com o meu primeiro blog e página no flickr. os primeiros anos foram anos de muito trabalho, mas e essencialmente de encontro de novos amigos.
o facebook veio tirar o lado humano que o flickr tinha e que não consigo reconhecer nesta nova rede social. as pessoas que se adicionaram no flickr, tornaram-se conhecidos e depois amigos. Sim, não se tratava de um mero "Gosto". Ao fim de tantos anos continuo a ser mimada pelos amigos que ficaram do flickr. Obrigada Mané

7.29.2013

ver em cada traço


O Centro Cultural de Cascais apresenta até 8 de Setembro um conjunto de 178 gravuras de um dos mais extraordinários artistas de sempre, Francisco Goya, dividida em três séries - Provérbios, Desastres de Guerra e Caprichos. A passagem de Setecentos para Oitocentos permitiu a Goya incluir temas como a Guerra de Independência contra os ocupantes napoleónicos, estes integrados na série Desastres de Guerra. Goya foi mais que um repórter, a dimensão psicológica que as personagens transmitem são na sua maioria esmagadoras para o espectador. Uma obra com uma experiência marcada pela dor.
É uma exposição imperdivel a ver com calma, porque a explicação de cada obra assim o exige. Nós fomos e, conseguimos ver todas as gravuras com a calma relativa que caracterizam os 9 anos. Sei que terei de voltar.
Sei que os tempos são difíceis, mas enquanto chamava a atenção do M. para determinada gravura assaltava-me a ideia de ir rapidamente comprar o catálogo, para em casa desfrutar das palavras e das imagens. Não aconteceu. O catálogo é curto e sabe a pouco. Se tivesse a exposição inteira talvez a carteira lhe soubesse a muito.

Duas notas,

para quem gosta de fotografia a preto e branco, a exposição Made in Hollywood entre a década de 20 e 50 do século XX, também no CCC.

o desaparecimento de Walter De Maria, um dos mais conhecidos artistas da land art. E como diz uma amiga "
Haverá arte depois dele?"

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...