12.03.2013

metade inteira


os dias passam-se com demasiada pressa deixando-nos pouco tempo para os saborear.

intercala-se conversas e estudos sobre a escola com brincadeiras do advento.

os dois primeiros dias foram de leituras, mas o orçamento não permite que o M. consuma um livro por noite e na impossibilidade destes caberem dentro dos saquinhos deixei pistas que como ele diz, foram sofridas.

sabia que haveria dias de menos, mas com o mesmo carinho com que a minha mãe nos deixava dinheiro.
naquela altura uma nota de 20 ou 50 escudos parecia muito mais que esta moeda. mas há dias assim.

as metades inteiras foram guardadas depois uma tentativa falhada em fazer broas fervidas (ou escaldadas). quem as sabe fazer disse-me que não estavam "muito católicas"e houve quem, com pena, as deitou fora.apercebi-me desta relação da "oscilação do gosto" ao lembrar-me de um livro com o mesmo nome, escrito por Gillo Dorfles, fundador do Movimento Arte Concreta, e que teve um peso muito marcante na minha formação.percebi que a estética e o estômago partilham das mesmas oscilações. Uma lúcida objetividade leva-me a pensar que devo deixar algumas coisas para quem realmente as sabe fazer.

Sem comentários:

Enviar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...