1.26.2012

para onde vamos





















"Para onde vamos quando desaparecemos" é um livro que nos fala muito além da ausência, da morte, da perda ou da falta. Fala-nos daquilo que a vida é, cheia de grandes e pequenas coisas.Cheia de tudo e de nada.

(...) "De quem fica, quase sempre se diz
que fica de mãos vazias.
Mas a verdade é que quem parte
lhe deixa sempre um monte de perguntas."(...)

"felizmente
(ou infelizmente, sei lá)
não somos os únicos
a desaparecer." (...)

O que dizer do sol, das nuvens, das folhas, da meia que não encontramos o par, do areal que desapareceu e de outra praia que se formou.

"Nada dura para sempre (...)
Melhor do que nada...
O nada é um sítio demasiado vazio
para alguém lá estar.
E se formos lá parar,
deixará de ser o nada em menos de nada."

A verdade é que não sabemos lidar com a morte, com a falta, com a ausência, por muito que digamos que é a lei natural da vida. Eu não quero pensar que vivo, que trabalho, que crio, que me esforço, que sofro, que choro, que rio, para um dia tudo acabar.
Acho que o problema não é sabermos lidar com a morte e aprender a aceitar que faz parte da vida. O problema é que não aprendemos a viver.

Nada melhor que um elogio à vida, a boneca da Rosa Pomar (nº 157). 

Sem comentários:

Enviar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...