4.04.2011

guarda






num dia de sol talvez não faça muito sentido falar em guarda-chuva e quem me conhece sabe que é quase contra-natura. raras são as vezes em que a chuva me traz sensações boas. talvez as primeiras chuvas, os primeiros cheiros a terra molhada, as primeiras vontades de permanecer em casa. fora isso, não gosto de chuva. mas gosto deste livro escrito por Davide Cali (já com alguns títulos editados em Portugal) e ilustrado por Valerio Vidali.


falando com uma amiga e a propósito do programa que a Biblioteca Pública de Évora ofereceu no dia do livro infantil, as histórias contadas tiveram esta "muleta" que visualmente é muito rica dando forma e envolvência ao espaço.


Um dia, Um Guarda-Chuva, editado pelo Planeta Tangerina conta-nos a história de um senhor que perde o seu guarda-chuva e como passa de mão em mão, acabando onde menos se espera. o mais interessante neste livro e talvez mais do que a narrativa, é a maneira súbtil como o ilustrador vai deixando pistas para a próxima página.


A história começa quando o sr do cachimbo deixa o guarda-chuva no autocarro, e já se vê o ladrão a roubar a carteira da senhora do chapéu encarnado, que na segunda página o usa para afugentá-lo e assim sucessivamente. tornou-se um desafio descobrir com "ele" essas pistas.


não gosto de chuva, mas gosto do meu chapéu, que há quem não se importava que eu o perdesse, por o achar um pouco "maricas"

3 comentários:

  1. não me importava de encontrar o teu guarda chuva.

    ResponderEliminar
  2. olá Rute

    pois, também não gosto de chuva, mas estás perdoada, :D, pois esse livro é maravilhoso.
    E que venham muitos dias de sol.
    bjs

    ResponderEliminar
  3. :)
    esse roxo até apetece usar como "sombrinha" - com o calor que tenho tido, apetece-me perguntar: emprestas-me?

    ResponderEliminar

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...