3.31.2010

primeira viagem




a partir de 5 de Abril, pode-se visitar os originais do Barco da Velha na Biblioteca Municipal de Vila Nova de Stº André, no âmbito dos "Contos Traquinas pelas Esquinas". Uma boa razão para uma pequena viagem. eu estarei lá no dia 9 de Abril, primeiro para um atelier e à tarde mais o Pedro Teixeira Neves, para um relançamento do livro.


3.27.2010

de volta




Foram duas semanas de ateliers, num ir e vir entre Lisboa e o Alentejo, onde a paisagem mudou a cada dia que passava. Acumulou-se cansaço, trabalho, mails, mimos, outros quereres, mas acabou-se como em outros anos de coração mais cheio.

São miúdos de bairros considerados problemáticos, ou numa versão romanceada ou aligeirada de bairros desfavorecidos, para mim são miúdos de coração aberto à espera que dês um sinal, um sorriso e logo se agarram a ti.

São miúdos desenrascados, que querem saber, experimentar, que para eles tudo é bom e é sobretudo uma novidade.

Não são miúdos "Caran d'Ache", mas têm muita pinta.
Não são miúdos que os pais os levem a fazer ateliers, mas são eles que trazem os irmãos mais novos.
São miúdos que no fim, nos convidam para voltar e ir a festas organizadas por eles, porque saímos como sendo parte das suas vidas.

Gosto destes miúdos.

3.24.2010

ausências daqui





porque os dias têm sido passados entre ateliers por essa Lisboa fora.

a preparar a próxima exposição, espero ter mais tempo para ir falando também por aqui.

parabéns à escritora e ilustradora belga Kitty Crowther pelo prémio Astrid Lindgren 2010, não me esquecendo que as duas nomeações portuguesas foram para Alice Vieira e para o projecto da Biblioteca de Beja, - "Palavras Andarilhas"

3.15.2010

no porão



apesar de um frio que ainda se faz sentir, o sol tem dado o seu ar de graça. com menos graça sinto o facto de fnacs e bertrands ainda guardarem o "Barco" no porão longe da luz do dia.

para os amigos impacientes, para quem quiser navegar neste barco, pode-o fazer, encomendando directamente à editora Trinta Por Uma Linha, ou através do meu mail, neste caso autografado

ainda por paciência, ou por falta dela, não consegui colocar aqui um vídeo que para os amantes dos livros acho-o imperdível. já agora quem me souber explicar o mistério de não conseguir fazer um simples copy-paste para dentro do blog, agradeço a ajuda.



3.11.2010

andar por aí (II)






Tenho tristezas como toda a gente.
E como toda a gente quero alegria.
Mas hoje sou de um céu que tem gaivotas,
leve o diabo essa morte dia a dia.
Eugénio de Andrade

Ontem não podia esconder um certo contentamento, o sol finalmente apareceu e saboreei uma tarde que não se previa assim.

A convite da Biblioteca Escolar Mestre de Avis, preparei uma conversa com os alunos do 5º ano. No fim a sala encheu-se e com ela uma série de mimos. Há sempre perguntas deliciosas nestas conversas. Há frases que nos fazem ganhar o dia. E ontem houve surpresas inesperadas, para além de um atelier de origami que tinham preparado com elementos do livro "Histórias do Barco da Velha", uma pergunta surgiu, e confesso que houve alguma inquietação da minha parte.

Alguma vez comeste uma ilustração tua?

A fotografia diz tudo. Obrigada

3.08.2010

andar por aí



oficialmente farta deste tempo (provavelmente Portugal inteiro), desdobro-me entre o atelier de design e alguns workshops que tinha agendados para este mês.

este tempo deixa-me com pouco espaço de manobra para me dedicar de coração a uns novos livros...

a imagem refere-se a "um mundo a cores" um atelier desenvolvido na Biblioteca Municipal de Torres Novas, um convite que tenho de agradecer, nomeadamente pela simpatia com que fomos recebidos. O projecto arquitectónico é de César Ruivo, num espaço pensado de raíz que vale a pena explorar, mas que vale sobretudo por quem todos os dias nele trabalha para o melhorar. As crianças que frequentaram os dois ateliers são da Escola Manuel de Figueiredo.

3.01.2010

mesmo com mau tempo





e a vontade de ficar no quentinho de casa, rumámos a Évora logo pela manhã para voltarmos à Fundação Eugénio de Almeida e aproveitarmos a oportunidade de fazer um novo atelier desta vez com obras de Paulo Rego como pano de fundo.

estes ateliers são ministrados por duas pessoas, sendo que desta vez tivemos por companhia a Marisa Guimarães. Mais uma vez constatámos a pouca adesão por parte das famílias, como aconteceu com o atelier de Cesariny, também aqui fomos os únicos.

a partir do universo das histórias de Paula Rego as crianças são convidadas a criar uma história em que as personagens ganham vida através de fantoches realizados com diferentes materiais.

por fim terminámos com a exposição de Malangatana, uma retrospectiva de 50 anos de carreira, no Palácio D. Manuel, em Évora.

mais fotos aqui

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...