8.17.2010

do som do mar





"Nunca conseguiu viver longe do mar. (...) Aprendera, também, que o mar, aquele mar - tarde ou cedo - só existiria dentro de si, como uma dor afiada, como um vestigio qualquer a que nos agarramos para suportar a melancólica travessia do mundo (...) Recorda somente o que ela lhe disse (...) - Tens nos olhos a cor triste do mar que perdeste. (...)
Al Berto in "O Esconderijo do Homem Triste", O Homem Mudo

de volta à casa que tenho hoje como minha, fica a saudade do tempo em que a minha casa se espraiava nas ondas. onde não se avistava o canto da terra. voltamos, com uma dada vontade de partir de novo.

a casa, é uma peça lindíssima da Joana Mateus e que infelizmente, ela pouco tem divulgado. obrigada

Sem comentários:

Enviar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...