6.02.2009

a ler





Sinto que para tudo na vida precisamos de ter pessoas excepcionais por trás, que nos conquistem, que nos ensinem a olhar. A olhar mesmo.
Uma das coisa que agradeço é ter havido pessoas na minha vida que me ensinaram a ler. Estar rodeada de livros e tintas foi muito importante para a minha formação, mais do que formação artística, a minha formação enquanto indivíduo.

Já não me lembro de começar livros, mas sim de os acabar, pena que o tempo não dê para tudo. E é a propósito de tempo ou da falta dele que transcrevo esta metáfora que Pepetela faz no seu livro “O Planalto e a Estepe”, - editado pela D. Quixote -, “O tempo é um atleta batoteiro, toma drogas proibidas, corre mais que todos. E quanto o mais quisermos agarrar, porque resta pouco, mais ele corre. O tempo goza com a nossa estúpida vaidade…”

O novo livro da Bruaá “O ponto”, além do simples prazer da leitura, traz aquilo que falei no início, a necessidade de termos nem que seja de passagem pessoas extraordinárias nas nossas vidas.

A professora que consegue transpor a barreira do “Eu não sei desenhar”, imposto por aquela criança é a professora que todos queremos para os nossos filhos. E não se reporta só ao desenho, mas a tudo na vida.
Há pouco tempo e à conversa com Miguel Horta ele contava a história de um menino que só desenhava aviões e a professora queixava-se disso. O problema não estava na criança, mas na inabilidade de ela lhe mostrar que ele o podia fazer, mas de tantas maneiras diferentes, como a personagem de Peter Reynolds que reinventa um ponto vezes sem conta.

Por último um texto que vale a pena ler, assinado por Francisco Vale no blogue da Relógio d’Água, porque eu também não me identifico com livros que são a meu ver receitas ou fórmulas de escrita.

4 comentários:

  1. pontos e tempo
    tempos de tantos pontos
    traço a traço
    unidos
    traços com tempo
    entre um e outro
    ponto
    um a um
    devagar
    devagarinho
    caminhos

    ResponderEliminar
  2. Hola,curiosamente el fin de semana me compre en una feria del libro este de las estaciones, he visitado tu blog, para mi que desde pequeña me crié entre géneros, lanas y dibujos, me sentí en casa. No conocía tu trabajo, me gusto y sin saberlo tenemos muchas cosas afines, yo también de vez en cuando juego con los generitos de mi mama para hacer ilustraciones. Me gustaría saber como puedo obtener ese libro de pulgarcita y algún trabajo tuyo, me gusto:almost without rain, bird, balance y en realidad muchos más,espero me des un comentario. Te invito a mi blog y nuevamente te felicito, quedé encantada, desde hoy estás incluída en mis regalones. Paty

    ResponderEliminar
  3. E de repente fiquei a conhecer o teu universo criativo...
    Gostei!

    ResponderEliminar
  4. e passar aqui para ouvir a música é uma delícia

    ResponderEliminar

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...