2.02.2009

Ontem precisei de ti.


Ontem precisei de ti. Procurei, procurei e não consegui encontrar. Tu terias deslizado o dedo pelas lombadas, como quem corre as teclas de um piano e terias escolhido o livro, aquele livro que incessantemente procurei. Terias aberto a página no poema que um dia me mostraste e que eu ontem não encontrei.

“não me fodas coração”é como termina um poema de Fernando Assis Pacheco, que ontem, 1 de Fevereiro, teria feito 72 anos se não fosse o coração a traí-lo.
Fernando Assis Pacheco morreu como gostariam de morrer muitos escritores: numa livraria. Na Bucholz.

O blog da Assírio lembra o autor de A Musa Irregular. Ontem voltei a pegar no romance Trabalhos e Paixões de Benito Prada. E lembrei-me deste projecto em que Assis Pacheco também era um nome.

1 comentário:

  1. E se é para morrer... que seja numa livraria como a Bucholz.
    ;) Ana Cristina

    ResponderEliminar

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...