10.31.2008

cinco minutos



neste papel mãe/mulher/trabalhadora/pessoa, sou levada a algumas inquietações próprias de uma qualquer personagem. sentir que me faltam tantos cinco minutos para estudar o meu papel, para o desempenhar melhor, para ser melhor. refugio-me. refugio-me naquele que sempre achei ser o melhor sítio, - o banho. é lá que penso, faço balanços. de um dia ou de uma vida. é onde me encontro e choro. cinco minutos intensos onde tantas vezes me esvazio de mim própria.
é lá que encontro o espaço que cada um ocupa. que percebo os amigos que tenho à distância, os que continuo a guardar mesmo na distância.
são cinco minutos que eu preciso para te agradecer R., mas sempre com o ponto lá fora. do outro lado da porta. - "mãe, ainda aí estás?"

ilustração muito melhor aqui

3 comentários:

  1. Não tens nada que agradecer!
    Para mim é sempre um prazer maior oferecer a quem sei que lhes vai dar valor.
    beijos

    ResponderEliminar
  2. Olá!!

    Realmente o trabalho do R é muito bom e bonito e, com certeza, sempre que é oferecido ganha um significado ainda maior que o embeleza ainda mais.

    Sobre o post, que foi o que me fez comentar, partilho contigo a opinião sobre o banho. Não há sitio onde me sinta melhor, especialmente se tiver de pensar, clarear ideias, chorar, ponderar nos planos que tenho de fazer...enfim, não serve, de todo, apenas para cantar.
    E no fim, passaram 5 minutos - ou talvez 10, mas parece que se passaram muito mais...parte da vida, ou pelo menos de pensamentos sobre ela.

    ***=)

    ResponderEliminar

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...